BrasilSaúde

Vacinação contra HPV em dose única: Ministério da Saúde anuncia mudança

[Foto: Aline Souza / GE]

O Ministério da Saúde divulgou nesta terça-feira (02/03) uma atualização no esquema de vacinação contra o HPV (sigla em inglês para Papilomavírus Humano). De acordo com uma Nota Técnica, a partir de agora, a vacinação será realizada em dose única, substituindo o antigo esquema em duas aplicações.O objetivo primordial é dobrar a capacidade de imunização dos estoques disponíveis no país, além de fomentar a adesão à vacinação e ampliar a cobertura vacinal.

Segundo o Governo Federal, a decisão foi fundamentada em estudos que comprovam a eficácia do esquema em dose única, em consonância com as diretrizes mais recentes da Organização Mundial da Saúde (OMS) e da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas). Com essa determinação, o Brasil se alinha a outros 37 países que já adotaram o esquema de dose única, seguindo recomendações internacionais e buscando resultados positivos na proteção da população contra o vírus HPV.

“A nota técnica recomenda que os estados e municípios realizem busca ativa para garantir que jovens brasileiros de até 19 anos tenham acesso à vacina contra o HPV. Nesses casos, poderão receber o esquema em dose única todas as pessoas dentro dessa faixa etária que não receberam uma ou duas doses do imunizante no período recomendado.”

Para presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), Mônica Levi, a vacinação é importante em todas as fases da vida e essencial para não desenvolvimento de complicações causados pelo vírus.

“O que os pais precisam entender é que o HPV pode evoluir para diversos tipos de câncer, especialmente na idade adulta. Por isso, a vacina é tão essencial”, afirmou Mônica.

Público-alvo e alcance da vacinação

O HPV é reconhecido como a infecção sexualmente transmissível mais comum globalmente. Ele está diretamente ligado ao desenvolvimento de praticamente todos os casos de câncer de colo do útero, assim como diversos outros tipos de tumores em ambos os sexos. Além disso, o HPV pode causar verrugas anogenitais na região genital e anal, e em certos casos, levar ao surgimento de câncer, dependendo do tipo de vírus envolvido. Dessa forma, a infecção pelo HPV é classificada como uma Infecção Sexualmente Transmissível (IST), demandando atenção especial e medidas preventivas adequadas.

De acordo com o Ministério da Saúde, o público-alvo da vacinação contra a doença permanece sendo meninos e meninas de 9 a 14 anos de idade, bem como pessoas com imunocomprometimento, vítimas de violência sexual e outras condições específicas, conforme disposto no Programa Nacional de Imunizações (PNI), podendo receber a vacina até os 45 anos.

Em 2023, foram administradas mais de 6,1 milhões de doses da vacina em todo o país, o que representa o maior número desde 2018, quando foram aplicadas 5,1 milhões de doses. Esse aumento reflete o esforço conjunto de estados, municípios e Ministério da Saúde no Movimento Nacional pela Vacinação, revertendo a tendência de queda nas coberturas dos principais imunizantes do calendário definido pelo PNI.

error: Não é possível copiar.