EconomiaRio de Janeiro

Plataforma Compre.Rio busca impulsionar economia solidária

[Foto: Richard Souza / AN]

A Prefeitura da cidade do Rio de Janeiro apresentou nesta quinta-feira (28/03) a plataforma de vendas Compre.Rio. O lançamento ocorreu por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico Solidário, no Palácio da Cidade, em Botafogo, na Zona Sul da cidade.

O objetivo da nova plataforma é possibilitar que empreendedores do setor, cadastrados na economia solidária do Rio, tenham a oportunidade de comercializar produtos de forma mais fácil e acessível, sem a necessidade de pagamento de taxas.

O prefeito do Rio, Eduardo Paes (PSD), destacou a importância da revolução digital e os benefícios da nova plataforma para o cotidiano dos cariocas.

“A gente tem que entender que a revolução digital está aí, não é um negócio do futuro. As plataformas já existentes, que permitem acabar com a intermediação nas relações entre as pessoas, foram muito espertas e usaram a tecnologia para fazer essa intermediação e lucrar. Mas se você pode fazer isso de maneira direta, sem cobrar taxa, que esse valor possa ser distribuído entre quem está produzindo e comprando, isso é muito melhor”, destacou o prefeito.

Para tornar o projeto realidade, foi necessário firmar um acordo de cooperação técnica entre a Prefeitura do Rio, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico Solidário, e a Companhia de Desenvolvimento de Maricá (Codemar).

O presidente da Codemar, Hamilton Lacerda, expressou sua satisfação em participar da iniciativa da Prefeitura do Rio, descrevendo-a como uma ferramenta moderna e inovadora.

“É uma honra estar participando desse golaço que a Prefeitura do Rio está fazendo, lançando uma ferramenta moderna e inovadora que vai atender a economia solidária para aqueles que enfrentam as barreiras das grandes ferramentas de marketplace”, afirmou Hamilton Lacerda.

Os Correios também firmaram parceria com o projeto para a distribuição dos produtos, possibilitando o acesso dos consumidores aos produtos oferecidos na plataforma.

Para Paulo Penha, Superintendente dos Correios, o projeto tem potencial para funcionar dentro dos padrões do mercado.

“Essa plataforma é dinâmica, dentro dos padrões do mercado e a custo zero para o artesão e o comerciante local. Seremos o braço logístico com entregas de qualidade e dentro do prazo”, enfatizou Paulo Penha.

*Com informações de Prefeitura do Rio

error: Não é possível copiar.