EducaçãoSegurançaTocantins

Polícia Federal faz operações para investigar contratações ilegais em Secretaria Municipal de Educação

[Foto: Ilustrativa]

Nesta quinta-feira (10/8), a Polícia Federal deflagrou duas operações com o objetivo de aprofundar as investigações relacionadas a contratações diretas de empresas pela Secretaria Municipal de Educação de Palmas/TO. As investigações apontam para a possível prática de crimes como contratação direta ilegal, corrupção e lavagem de dinheiro.

No total, 14 mandados de busca e apreensão foram cumpridos por policiais federais, por ordem da 4ª Vara Federal da Seção Judiciária do Tocantins. As operações ocorreram nas cidades de Palmas/TO, São Paulo/SP e Brasília/DF.

As investigações tiveram início a partir de denúncias que levantaram suspeitas sobre contratos irregulares realizados pela Secretaria Municipal de Educação. Um dos contratos investigados envolveu a contratação direta de uma empresa para fornecer kits pedagógicos às escolas, sem a realização de um processo de licitação. O segundo caso refere-se à contratação de uma empresa para o transporte escolar emergencial de alunos da Zona Rural, também sem licitação. Os contratos em questão totalizam mais de R$ 30 milhões.

As operações receberam os nomes “Segundo Plano” e “Plano Inserto”, indicando suspeitas de que as contratações não foram feitas com o objetivo de melhorar a qualidade da educação ou do transporte escolar na cidade. Em vez disso, suspeita-se que os envolvidos tenham buscado enriquecimento ilícito por meio dessas práticas.

A Polícia Federal está comprometida em esclarecer os fatos e solicita o auxílio da população. Para isso, disponibilizou o e-mail delecor.drcor.srto@pf.gov.br e o número de WhatsApp (63) 3236-5501 para receber denúncias e informações relevantes sobre o caso. Além disso, a Superintendência Regional da PF no Tocantins também está disponível para atendimento em regime de plantão.

Com informações da Comunicação Social da PF no TO.

error: Não é possível copiar.