InternacionalSaúdeSegurança

OMS condena ataques contra profissionais de saúde, instalações de saúde e ambulâncias no Sudão

[Foto: Ilustrativa]

A OMS condenou, por nota divulgada nesta terça-feira (18/04), os ataques relatados contra profissionais de saúde, instalações de saúde e ambulâncias no Sudão.

Confira, a seguir, a reprodução da nota do diretor Regional da OMS para o Mediterrâneo Oriental, Dr Ahmed Al-Mandhari, sobre o tema, em tradução livre.

Declaração do Diretor Regional sobre ataques à saúde no Sudão.

Cairo, Egito, 18 de abril de 2023 – A OMS condena veementemente os ataques relatados contra profissionais de saúde, instalações de saúde e ambulâncias no Sudão. Esses ataques, que parecem estar aumentando em número, já causaram a morte de pelo menos três pessoas e deixaram duas feridas. Além disso, eles limitam o acesso aos cuidados de saúde que salvam vidas, colocando mais vidas em risco.
Relatos de ataques militares contra instalações de saúde, sequestro de ambulâncias enquanto pacientes e paramédicos estão a bordo, saque de instalações de saúde e ocupação de instalações de saúde por forças militares são profundamente preocupantes.
Os ataques à saúde são uma flagrante violação do direito internacional e do direito à saúde. Eles devem parar agora. As partes envolvidas no conflito devem garantir acesso seguro de pacientes, profissionais de saúde e ambulâncias aos hospitais em todos os momentos. Os pacientes precisam de acesso a serviços de saúde não apenas para tratar lesões, mas para outros serviços essenciais e salvadores de vidas.
Segundo relatos, 16 hospitais (incluindo nove em Cartum) não estão funcionando devido a ataques e 16 hospitais em Cartum e outros estados, incluindo os estados de Darfur, estão próximos de não funcionarem devido ao cansaço dos funcionários e à falta de suprimentos.
Hospitais em Cartum que recebem pessoas feridas relatam escassez de sangue, equipamentos de transfusão, fluidos intravenosos, suprimentos médicos e outros bens essenciais e salvadores de vidas. Escassez de água, eletricidade, combustível e alimentos para pacientes também estão sendo relatados.
À medida que os desafios relacionados ao acesso aos cuidados de saúde aumentam e os profissionais de saúde enfrentam recursos limitados para tratar pacientes, a segurança e a santidade dos cuidados de saúde devem ser sempre protegidas, especialmente em situações de conflito quando o acesso a serviços que salvam vidas se torna ainda mais vital.
Para informações sobre como a OMS rastreia e relata ataques à saúde, consulte: Parar ataques à saúde (who.int).

WHO Eastern Mediterranean Region

Deixe um comentário

error: Não é possível copiar.