BrasilSegurança

Lançado Projeto Celular Seguro para bloquear smartphones e aplicativos digitais em caso de roubo e furto, com mais facilidade

[Foto: Ilustrativa]

Na última terça-feira (19/12), o Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP) apresentou o Projeto Celular Seguro, uma iniciativa que visa fornecer às vítimas de furto e roubo de dispositivos móveis uma maneira rápida e eficaz de bloquear seus aparelhos e aplicativos digitais. A ação, que já conta com o site operacional, terá o aplicativo disponível a partir desta quarta-feira (20) para Android e iOS.

A proposta tem como objetivo central combater crimes relacionados ao uso indevido de celulares furtados e roubados em todo o país, tornando os aparelhos inutilizáveis após o bloqueio, o que, por sua vez, contribuirá para a redução de ocorrências de receptação. A participação no Celular Seguro é ilimitada, mas os números cadastrados precisam estar vinculados ao CPF para que o bloqueio seja efetivo.

O registro no Celular Seguro será vinculado à conta gov.br do usuário, simplificando o processo de adesão. Cada pessoa cadastrada terá a capacidade de indicar outras para efetuar bloqueios em caso de perda, roubo ou furto do celular, proporcionando uma rede de segurança.

O secretário-executivo do MJSP, Ricardo Cappelli, destacou que o projeto oferece uma solução direta para a população, abordando um problema que afeta todo o país. Ele ressaltou que o Governo Federal atua como coordenador do processo, visando melhorar a vida dos cidadãos e inibir delitos.

Diversos parceiros, incluindo a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) e empresas de telecomunicações, apoiam a iniciativa, destacando a importância da colaboração mútua para garantir a segurança dos cidadãos.

O aplicativo Celular Seguro não apenas bloqueia o aparelho, mas também possibilita o bloqueio de contas bancárias e outros serviços associados. Empresas de telefonia passarão a efetuar o corte das linhas até fevereiro de 2024. O tratamento dos dados dos usuários seguirá as diretrizes estabelecidas pela Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).

Até o momento, mais de 411 mil usuários se cadastraram na ferramenta, com 290 mil registrando seus telefones celulares. Houve mais de 2.039 bloqueios realizados até as 16h30 desta quinta-feira (21/12), indicando uma adesão significativa à iniciativa.

O Projeto Celular Seguro representa um passo importante no enfrentamento de crimes relacionados a dispositivos móveis, oferecendo uma solução prática e eficiente para a proteção dos cidadãos brasileiros.

error: Não é possível copiar.