Espirito SantoSaúde

Conheça o “Projeto Cão Terapia” que busca levar esperança para pacientes no Espírito Santo

[Foto: Ilustrativa / LensGO]

Os animais estão cada vez mais presentes no dia a dia do ser humano. Os cães, especialmente, são considerados os melhores amigos do homem, e é comum ver pessoas demonstrando carinho e afeto por eles.

Em momentos difíceis, eles buscam estar ainda mais presentes junto aos seus tutores. Foi o que aconteceu com Fofinho, de 11 anos. Quando sua tutora, Jacy Premoli, foi internada no Hospital Estadual de Urgência e Emergência “São Lucas” (HEUE) em Vitória, no Espírito Santo, a equipe do hospital recebeu o animal com muito entusiasmo. A ação abriu as portas para o “Projeto Cão Terapia” na unidade e fez parte da “Semana de Humanização do SUS”, que ocorreu entre os dias 22 e 26 de abril deste ano.

Segundo o governo do estado do Espírito Santo, a presença de Fofinho na UTI B da unidade hospitalar encantou não apenas sua tutora, que o resgatou ainda filhote. O cão provocou “suspiros, lágrimas e uma sensação de esperança entre todos os presentes”.

Para a psicóloga Jauberleia Batista, a presença dos animais traz vários benefícios, incluindo a melhora na interação entre os pacientes e a equipe multiprofissional, além de minimizar os efeitos negativos da internação, como a solidão e o medo.

“Além de muita emoção, esse encontro promoveu uma melhora nítida na condição da paciente, que se mostrou mais motivada e teve até uma melhora de apetite, ficou mais comunicativa e muito grata. A equipe também ganhou muito, já que todos se emocionaram ao ver a alegria do cãozinho e da paciente durante o reencontro. Estamos ansiosos para que momentos como o de hoje se repitam”, disse a psicóloga.

Fofinho é considerado como filho por Jacy e, segundo a Secretaria de Estado de Saúde do Espírito Santo, a visita do animal tornou-se “uma ferramenta para enriquecer a experiência do paciente e tornar o período de internação mais leve”.

A diretora-geral do HEUE, Cynthia Milanez, destacou o sucesso da visita do cão na unidade e ressaltou o trabalho da equipe para viabilizar o momento.

“A visita do Fofinho foi um sucesso, graças ao envolvimento de toda a equipe, que fez de tudo para viabilizar esse momento dentro das normas sanitárias. No HEUE estamos cada vez mais envolvidos com a experiência do paciente, em cuidar também da parte emocional, não somente tratar a doença. O projeto vai crescer em breve e continuamos trabalhando para tornar a visita canina periódica, com o intuito de acolher e trazer alegria aos nossos pacientes”, disse Cynthia Milanez.

Outras unidades

No Hospital Dr. Jayme Santos Neves (HEJSN), as visitas do “Projeto Cão Terapia” ocorrem a cada 15 dias, sempre aos sábados. A equipe médica da unidade concorda que a presença dos cães “promove uma melhora significativa na condição clínica dos pacientes”. Ao todo, o HEJSN promove 22 projetos na unidade, dos quais o Cão Terapia faz parte. O hospital está localizado no bairro Morada de Laranjeiras, no município de Serra.

Em setembro de 2023, o Hospital Estadual Infantil e Maternidade Alzir Bernardino Alves (Himaba), localizado em Vila Velha (ES), implantou o projeto “Cão Terapia”. Desenvolvido na ala de Psiquiatria, o projeto conta com a participação de 5 voluntários e 6 cachorros que buscam levar alegria e leveza ao ambiente hospitalar. A unidade de saúde é administrada pelo Instituto Acqua, em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde do Espírito Santo (SESA).

Assim como no HEJSN, as visitas dos cães no Himaba também ocorrem a cada 15 dias. Para a pediatra neonatologista do Himaba, Beatriz de Freitas Junqueira, a ciência comprova que a presença dos animais é responsável por levar diversos benefícios à saúde humana.

“Estudos científicos trazem a presença de animais em hospitais como fator que auxilia a cura e o bem-estar dos pacientes. O convívio com os animais causa a liberação do “hormônio da alegria”, a endorfina, e traz uma série de benefícios como diminuição dos efeitos colaterais de tratamentos, alívio de dor, redução da ansiedade e diminuição do desgaste dos pacientes em internações prolongadas. Além de aumentar a socialização e a adesão às terapias”, explica Beatriz de Freitas Junqueira.

Segundo a Secretaria de Estado de Saúde, os cães que visitam as unidades “passam por aprovação de diversos setores como o Serviço de Controle de Infecção Hospitalar e devem atender necessidades e regras específicas como a vacina em dia, banho higiênico, termo de saúde do animal assinado pelo veterinário, avaliação de adestrador e uma reavaliação semestral de todos esses quesitos.”

*Com informações de SES-ES

error: Não é possível copiar.