Rio de JaneiroSegurança

Concluído o inquérito do atropelamento de Kayky Brito: Motorista não responderá por crime

A 16ª DP (Barra da Tijuca) concluiu o inquérito do atropelamento do ator Kayky Brito, afirmando que o motorista não responderá por nenhum crime. As investigações revelaram que o condutor estava abaixo da velocidade permitida na via e dirigia a uma média de 48 quilômetros por hora no momento da colisão, enquanto a permissão era de 70 quilômetros por hora.

O laudo de perícia do Instituto Criminalista Carlos Éboli (ICCE) evidenciou que o motorista estava a menos de 10 metros do ator e a 0,73 segundo de distância de Kayky quando este iniciou a travessia na pista. Para uma reação adequada e evitar a colisão, os peritos indicaram que a distância inicial entre condutor e pedestre deveria ser superior a 26 metros.

“O laudo é esclarecedor e não restam dúvidas. A distância entre carro e vítima no instante em que ele inicia a travessia, mesmo a uma velocidade abaixo da permitida, era insuficiente para que o motorista percebesse, reagisse e parasse o veículo sem impacto”, afirmou o delegado Ângelo Lages, titular da 16ª DP.

Apesar do pouco tempo para reagir e frear o carro, o relatório final destacou que o motorista realizou ações para evitar a colisão, somando-se ao fato de estar dentro do limite de velocidade e não apresentar sinais de consumo de álcool ou substâncias.

A 16ª DP solicitará o arquivamento e encaminhará o inquérito ao Ministério Público, que posteriormente seguirá para a Justiça, marcando o desfecho dessa triste ocorrência.

Com informações da ASCOM da PCERJ.

error: Não é possível copiar.